Chatsworth II

Num invulgar dia de sol em Marco, fomos a Chatsworth naquele que era o dia em que reabria as suas portas em 2011. Residência dos Duques de Devonshire – que estavam a receber à entrada os primeiros visitantes do ano – Chatsworth é indiscutivelmente o apogeu do universo da English country house na sua perfeita combinacao de casa, coleccão, jardins e parque. Havendo que visitar uma só casa no Reino Unido, Chatsworth é decididamente a escolha acertada. Blenheim nao tem uma coleccão comparável, nem Castle Howard; a Burghley House falta um século XVIII rico e a Woburn Abbey uns jardins semelhantes.

Forca económica da região, a casa e estate são geridos eficientemente e as receitas sao inúmeras, desde as visitas à casa e vendas da loja, passando por pubs e hotéis nas propriedades e pela farm shop fundada por Deborah, Duquesa Viuva da Devonshire, uma das cinco famosas irmas Mitford.

A coleccão é impressionante, em linha com as grandes casas inglesas em termos de gosto, mas a quantidade e qualidade sao de facto overwhelming. A galeria de escultura é uma ode ao Grand Tour da aristocracia britanica; a coleccão de desenhos é mundialmente famosa, a coleccão de pintura antiga inclui um Rembrandt e dois Hals, entre outros e as artes decorativas nao ficam atrás.

No entanto, um dos factores que distingue Chatsworth das demais casas em Inglaterra, é o facto da três últimas geracões da família serem activos patronos das artes.

Depois do período conturbado que se seguiu à II Guerra Mundial e uma conta a pagar ao Estado inglês de imposto sucessorio no valor de 80% de todas as propriedades (!) o XI duque, Andrew, assumiu a renovacão da casa que levou décadas e consequente abertura ao público.

Visita regular em Chatsworth era o pintor Lucian Freud e que deixou a sua marca não só pintando retratos dos Duques como também um bonito mural num quarto de banho, infelizmente nao visitável. Outras obras suas fazem parte da coleccão.

Deborah Devonshire, por Lucian Freud

O actual duque, Peregrine, Deputy Chairman da Sotheby’s, é um entusiasta de pintura e escultura britanica e tem comprado activamente obras para os jardins e casa. Um pastel de grandes dimensões da Paula Rego está exposto no mesmo corredor que um bonito retrato da mulher do VIII duque por John Singer Sargent e quase ao lado do Computer Portrait of Laura Burlington, mulher do presúmivel herdeiro Earl Burlington, por Michael Craig Martin.

Computer Portrait of Laura Burlington, por Michael Craig Martin, 2010

Nem tudo nesta coleccão de escultura e pintura contemporanea tem o mesmo valor, mas, sendo desigual em termos de qualidade, só revela um gosto pessoal e não influenciado por modas e por isso admirável.

O Earl Burlington, fotógrafo que se inclina mais para arte contemporanea assumiu as rédeas do castlo da família na Irlanda, Lismore Castle, onde desenvolve um programa de exposicoes (Lismore Castle Arts), mas com certeza que quando chegar a sua vez de tomar conta de Chatsworth tambem deixará a sua marca.

Ovelha drop deixado no Cornwall Slate Line, por Richard Long

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s